O Canadá gastou uma grana com joelheiras hidráulicas para seus soldados

Também em versão não-militar, os joelhos cyborgs permitem carregar mais peso e lidar melhor com os impactos de paraquedas.

|
10 março 2016, 4:56pm

Crédito: Spring Loaded Technology

O exército canadense está para testar uma tecnologia que permitirá que seus soldados carreguem mais peso, fiquem agachados por mais tempo e lidem melhor com o impacto após saltos de paraquedas.

A empresa Spring Loaded Technology, com sede em Halifax, na Nova Escócia, assinou um contrato de 1,19 milhões de dólares canadenses (cerca de 3,2 milhões de reais) com a Secretaria de Defesa Nacional do Canadá para fornecer ao exército um número não-divulgado de joelheiras hidráulicas poderosas o suficiente para levantar 72 kg. É como a suspensão de um carro, mas no seu corpo. De acordo com o CEO da empresa, Chris Cowper Smith, os aparelhos serão testados pelos militares para "diversas missões táticas".

"O interesse é ver como os aparelhos se integrarão ao equipamento atual", disse Cowper-Smith. "Se permitirá aos soldados levantarem mais peso de forma segura, por exemplo. O exército está em fase de avaliação e está disposto a comprar uma quantidade determinada de joelheiras com base no que mostramos em testes até o momento."

"Os paraquedistas vêm com muita força e ativam o paraquedas muito tarde. Estes aparelhos poderiam ser usados para absorver parte do impacto"

Diferentemente de outros projetos que usam molas metálicas, o dispositivo da Spring Loaded usa algo conhecido como "mola líquida", que funciona ao movimentar o fluido para gerar força como uma mola. Alguns dos projetos com base em molas mais tradicionais são capazes de fornecer força o suficiente para 5 kg extras, mas a Spring Loaded promete bem mais.

"Reforçamos as cápsulas de carbono e braçadeiras para prevenir danos", explicou Cowper-Smith. "Digamos que ocorra um golpe lateral atingindo o joelho, muito dele seria absorvido pela joelheira. Além disso, no caso dos paraquedistas, cada soldado usa botas enormes, reforçadas, que são retiradas após o pouso. Estas são usadas para absorção do choque, mas é bastante comum ocorrer danos aos joelhos na aterrissagem. Os caras vêm com muita força e ativam o paraquedas muito tarde. Estes aparelhos .poderiam ser usados para absorver parte do impacto"

Crédito: YouTube

A joelheira da Spring Loaded Technology nem sempre teve fins bélicos. A empresa tem como objetivo oferecer versões comerciais para fisioterapia e esportes radicais. Uma campanha de crowdfunding no Indiegogo para a produção da joelheira já passou dos 200%, e a companhia ainda conseguiu 2 milhões em capital de risco.

Seja lá o que o exército fará depois dos testes, haverá, ao que tudo indica, versões comerciais do produto nas prateleiras em 2016. Poderemos ficar, quem sabe, mais durões, melhores, mais rápidos e mais fortes, hein?

Tradução: Thiago "Índio" Silva