O Futuro das Guerras, Segundo a DARPA

Para a agência de projetos do futuro do exército americano, a guerra de amanhã será muito parecida com Call of Duty.

|
jul 14 2014, 1:58pm
Crédito: DARPA

Isso que você está vendo é uma representação oficial do “Esquadrão X” da DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa dos EUA), a iniciativa mais recente da agência em pesquisas de combate. Não é um print de Call of Duty. Mas, por acaso, existe um episódio da interminável franquia de jogos de guerra que se passa num futuro próximo, com drones e soldados-robôs e barras de energia e munição de alta tecnologia, não existe? Aparentemente, o exército americano acredita que campos de batalha serão exatamente assim nos próximos anos. Na versão de tela cheia, dá para ver um drone sobrevoando o conflito.

Claro, sempre houve um paralelo entre cultura militar e videogames, tanto em formato quanto função. De pilotos controlando drones com controles de Xbox a aventuras militares servindo de base para jogos lucrativos de tiro em primeira pessoa, ambas as empreitadas se alimentam cada vez mais uma da outra; é um ouroboros armado e emaranhado.

De acordo com a DARPA, o Esquadrão X “visa construir um sistema integrado para estender, de forma orgânica, o conhecimento e a influência de esquadrões de infantaria terrestre”. A agência pretende “digitalizar o esquadrão”, vestindo soldados com sensores remotos, soltando drones e robôs autônomos nos campos de batalha para coletar dados, e compartilhando informações “de forma orgânica”.

A DARPA destaca as três prioridades do estudo que está prestes a empreender: 

  • “Acesso integrado e controle de sensores móveis, incluindo streaming de vídeos interativos
  • Uma imagem 3D de operação conjunta
  • A habilidade de localizar e identificar forças aliadas e locais perigosos na região em tempo real”

Basicamente, a agência deseja controlar situações de combate reais como em um videogame.

Neste momento, o Esquadrão X está no estágio de Requerimento de Informações; o exército quer insumos de terceiros para ajudar a construírem tudo isso. O “Estudo de Infraestrutura do Esquadrão X” traça melhor os objetivos da agência:

Digitalizar o Esquadrão envolve digitalizar o soldado, estudar o ambiente e compartilhar informações entre membros do esquadrão. A digitalização dos soldados será efetuada por meio de sensores ‐usados por eles, que medem características como dados psicológicos do soldado, andamento e localização das operações. A digitalização do ambiente será efetuada por meio da fusão orgânica e processamento instantâneo de dados adquiridos de múltiplas fontes (sensores) - membros do esquadrão e sistemas autônomos vão construir um modelo 3D da área de operação dos soldados. As informações serão compartilhadas com o esquadrão por meio de uma rede de comunicações segura e robusta, com uma interface intuitiva e multimodal. 

A DARPA quer uma Internet de soldados, basicamente, e claro que parece com Call of Duty.

Tradução: Stephanie Fernandes