Os slides que a NASA usou para explicar o espaço à administração de Trump

O espaço explicado para presidentes e assessores.

|
abr 17 2017, 2:25pm

Existem cerca de 100 páginas de documentos preparados pela NASA para ensinar à administração de Donald Trump sobre o espaço. Não acreditamos que a agência espacial tenha levado o próprio Trump para uma sala a fim de explicar nos mínimos detalhes uma missão de retorno de amostras lunares. Ao que tudo indica, os slides foram passados aos seus subordinados que os usarão para moldar o futuro da agência. 

David Axe, colaborador do Motherboard, teve acesso à apresentação e ao relatório por meio do Ato de Pedido de Liberdade de Informações. O conteúdo é amplo. Possui dados específicos solicitadas pela administração de Trump (por exemplo: a quantas andam as naves da próxima geração?), bem como um panorama de tudo o que a NASA faz e no que consiste o espaço.

No slide: Figura 1 Panorama de inovações da NASA. (Crédito da imagem: estúdio do JPL.)

O relatório principal está focado em três frentes: na ciência que pode ser desempenhada a bordo da aeronave de tripulação Orion, o prospecto de escavar a Lua e a possibilidade de mandar de volta roboticamente à Terra amostras da Lua.

A administração também entregou relatório sobre a importância dos sistemas de comunicação espacial, seus conjuntos de radiotelescópios e seus planos de gerenciar o espectro eletromagnético. A NASA também entregou a Trump uma lista de pessoas importantes na agência e suas informações de contato, bem como um panorama extenso de todos os projetos e sua missão geral ("proteger e melhorar a vida na terra"; "a busca por vida extraterrestre"; explicar os "fundamentos do universo").

Um dos relatórios explica o básico. Define, por exemplo, o planeta Terra e o Sol: "A Terra – o único planeta conhecido a abrigar vida – é um sistema imensamente complexo (...) O Sol é a fonte de energia que permite à vida prosperar na Terra. Mas ainda há muito a respeito do Sol que desconhecemos."

Esses relatórios são comuns nas trocas de administração. É importante apresentar ao novo presidente um panorama sobre aquilo que elas fazem. Como algumas iniciativas científicas do governo estão sob ameaça, é difícil para a NASA justificar seus programas de monitoramento do planeta na administração atual, por exemplo. O relatório serviu como uma oportunidade para a agência justificar o trabalho da agência.

Por esse ponto de vista, é um documento interessante para alguém leigo no assunto. Podemos aprender que a NASA dividiu suas "atividades de inovação" em quatro categorias diferentes: transformativa, contínua, revolucionária e de ruptura. 

Aprendemos que seus parceiros comerciais para o espaço são "de ruptura", mas não necessariamente "revolucionários", enquanto suas tentativas de construir um "balão de duração ultralongo" são "revolucionárias", mas não "transformadoras".

Para seu deleite, seguem os relatórios e os slides (em inglês) que a NASA mostrou à equipe de Trump.

NASA Responses to Trump Transition ART [ Respostas da NASA à transição de Trump] por Jason Koebler no Scribd.

Tradução: Amanda Guizzo Zampieri